Observador de Justiça da China

中 司 观察

InglêsArabeChinês (simplificado)DutchFrancêsAlemãohindiItalianoJapaneseKoreanPortuguêsRussoEspanholsuecohebraicoIndonesianvietnamitatailandêsturcoMalay

Uma Visão Geral da Emenda à Lei Antimonopólio na China: Mudanças e Expectativas

Dom, 11 de setembro de 2022
Categorias: Insights
Contribuintes: Qian Wu , Qian Li
Editor: CJ Observer

avatar

 

Em 24 de junho, a China alterou sua Lei Antimonopólio pela primeira vez desde que entrou em vigor em 2008. Qian Wu (Ph.D. pela Universidade de Maastricht. Projeto de pesquisa: 'Tying in Digital Platforms under the Competition Legal Framework in China and the UE—Uma Análise Comparativa de Direito e Economia') e Qian Li (Ph.D. pela Universidade de Maastricht. Projeto de pesquisa: 'Discriminação de preços habilitada para IA: uma perspectiva de direito da concorrência') forneceram uma breve visão geral de revisões notáveis ​​do Anti -Lei do monopólio. 

 

Key Takeaways:

  • A Emenda 2022 da Lei Antimonopólio (AML) reafirma o papel fundamental da concorrência.
  • A Emenda AML 2022 especifica as regras relativas a acordos monopolistas, abuso de posição dominante, concentração de empresas e abuso de poder administrativo.
  • A Emenda AML 2022 aumenta multas e penalidades por atos ilegais com efeitos de dissuasão aprimorados.

 

Fundos 

A Lei Antimonopólio Chinesa foi adotada em 2007 e entrou em vigor em 2008 (AML 2008). A alteração da AML foi listada no Edital do Plano de Trabalho Legislativo 2015 do Conselho de Estado. Em janeiro de 2020, a Administração Estatal de Regulação do Mercado lançou o Projeto de Emenda para solicitar opiniões públicas, impulsionando o processo de alteração. Após duas revisões do Comitê Permanente da Assembleia Popular Nacional em outubro de 2021 e junho de 2022, a China adotou a Emenda da AML em 24 de junho, que entrará em vigor em 1º de agosto de 2022. 

Após 14 anos de implementação da AML, é hora de a AML passar por revisões abrangentes. Embora tenha desempenhado papéis vitais, como Gong Zhang (Diretor Geral da Administração Estatal para Regulação do Mercado) comentou em 2021, protegendo a concorrência leal, melhorando a eficiência da economia, salvaguardando os interesses dos consumidores e públicos e promovendo o desenvolvimento de alta qualidade na China . Juntamente com o desenvolvimento da economia de mercado socialista, a implementação da Lei Antimonopólio também revela problemas, incluindo que as disposições relevantes são muito generalizadas, as penalidades para alguns atos monopolistas não são suficientemente fortes e o sistema de aplicação precisa ser melhorado. . 

Estrutura e revisões notáveis 

A estrutura da Emenda AML 2022 segue a AML 2008, composta por oito capítulos: 
• Disposições gerais (Capítulo 1, Artigo 1 - Artigo 15) 
• Acordos monopolistas (Capítulo 2, Artigo 16 - Artigo 21) 
• Abuso de posição dominante (Capítulo 3, Artigo 22 - Artigo 24) 
• A concentração de empresas (Capítulo 4, Artigo 25º - Artigo 38º) 
• Abuso de poder administrativo (Capítulo 5, Artigo 39 - Artigo 45) 
• Investigação de comportamento monopolista (Capítulo 6, Artigo 46 - Artigo 55) 
• Responsabilidades Legais (Capítulo 7, Artigo 56-Artigo 67) 
• Disposições Complementares (Capítulo 8, Artigo 68-Artigo 70)

Abaixo estão algumas revisões notáveis ​​nesses capítulos da Emenda AML 2022. 

1. A Emenda AML 2022 atribui importância ao incentivo à inovação e reforça o papel fundamental da concorrência

O artigo 1.º da Emenda ABC 2022 inclui o “incentivo à inovação” como objetivo legislativo adicional. Debates surgiram sobre esta incorporação. O professor Xiaoye Wang, um dos pioneiros da AML chinesa, argumenta que, uma vez que mecanismos de concorrência que funcionam bem naturalmente aumentam a capacidade de inovação das empresas, acrescentar o propósito de 'incentivar a inovação' pode não ter muito impacto na fiscalização. Em vez disso, ela defende a simplificação dos múltiplos objetivos da AML. O Prof. Jianzhong Shi, no entanto, aponta que a economia da China passou de um crescimento de alta velocidade para um desenvolvimento de alta qualidade. Nesse sentido, estimular a inovação tecnológica e a inovação do modelo de negócios pode ser essencial para acelerar a transformação do modo de desenvolvimento econômico, ajustar a estrutura econômica e melhorar a qualidade e a eficiência do desenvolvimento. 

Embora a Emenda AML 2022 ainda estabeleça múltiplas metas semelhantes à AML 2008, o papel fundamental da concorrência foi reafirmado em vários aspectos. 

Em primeiro lugar, o artigo 4.º, n.º 2, da Emenda AML 2022 acrescenta que a China “adere aos princípios da mercantilização e do Estado de direito e reforça a posição fundamental da política de concorrência”. A expressão "a posição fundamental da política de concorrência" não é nova. Em outubro de 2015, os 'Parecer do Comitê Central do Partido Comunista da China e do Conselho de Estado sobre a Promoção da Reforma do Mecanismo de Preços' (《中共中央国务院关于推进价格机制改革的若干意见》) já enfatizavam a importância de fortalecimento da supervisão dos preços de mercado e aplicação da lei antimonopólio, e gradualmente estabelecendo a posição fundamental da política de concorrência. 

Em segundo lugar, o Artigo 5 fornece a base legal para o sistema de revisão de concorrência leal da China. Estipula que 'as agências administrativas e os organismos habilitados por leis e regulamentos para desempenhar a função de administrar a coisa pública devem conduzir a revisão da concorrência leal na formulação das regras que envolvem as atividades econômicas dos atores do mercado'. Este sistema destina-se a regular o comportamento do governo que prejudicaria a concorrência leal da fonte, com o objetivo de melhorar o ambiente de negócios e aumentar a abertura da China. Em junho de 2016, o Conselho de Estado emitiu 'Parecer sobre o Estabelecimento do Sistema de Revisão da Concorrência Justa na Construção do Sistema de Mercado' (《国务院关于在市场体系建设中建立公平竞争审查制度的意见》), fornecendo normas específicas sobre como conduzir uma revisão de concorrência leal pelos governos. Até julho de 2021, o sistema de revisão da concorrência leal foi implementado com sucesso na China nos níveis nacional, provincial, municipal e distrital, com resultados positivos de limpeza de 1.89 milhão de documentos sobre várias políticas e medidas que afetam as atividades econômicas, revisando e revogando quase 30,000 documentos e identificando e corrigindo mais de 4,100 políticas e medidas em violação aos padrões de revisão. 

A importância primordial do sistema de revisão de concorrência leal parece indiscutível entre acadêmicos e práticas chinesas. Qing Li, ex-funcionário que participou do processo inicial de redação do sistema de revisão da concorrência leal, explica que o sistema de revisão da concorrência leal é baseado em casos anteriores de abuso de poder administrativo para excluir ou restringir a concorrência. Este sistema trata das relações entre a concorrência e outras políticas, por exemplo, políticas industriais. O Prof. Yong Huang destaca ainda que durante o período de pandemia da covid-19, este sistema poderá regular a formulação, introdução e implementação de políticas de investimento, industriais e de consumo. Isso pode incluir limites de entrada irracionais e injustos, como subsídios governamentais direcionados e apoio a algumas empresas. Assim, desempenharia um papel essencial na salvaguarda da sobrevivência e desenvolvimento das micro, pequenas e médias empresas. 

2. Obteve-se uma melhoria significativa na melhoria do quadro jurídico dos acordos monopolistas

Em primeiro lugar, a Emenda AML 2022 introduz 'nenhuma defesa anticoncorrencial' para avaliar acordos monopolistas verticais. O novo n.º 18 do artigo 2.º esclarece que os acordos de fixação de preços e os acordos de restrição de preços mínimos de revenda não são proibidos se as empresas puderem provar que não têm por efeito excluir ou restringir a concorrência. O Prof. Tao Wu destaca que esta revisão confirma as conquistas do caso Hainan Yutai. No caso Hainan Yutai, o Supremo Tribunal Popular considerou que "mesmo que a agência de execução confirme o fato de que existe um acordo de monopólio vertical por meio de investigação, as empresas ainda podem apresentar provas para provar que o acordo não exclui e restringe a concorrência". 

Em segundo lugar, a Emenda AML 2022 introduz a regra de porto seguro para avaliar acordos monopolistas verticais. O novo n.º 18 do artigo 3.º prevê que os acordos previstos no n.º 18, ponto 1, do artigo 2.º não sejam proibidos quando as empresas possam provar que a sua quota de mercado no mercado relevante é inferior ao padrão estabelecido pelo organismo de execução antimonopólios do Conselho de Estado e cumprir outras condições estabelecidas pela agência de execução antimonopólio do Conselho de Estado. Em comparação com a regra de porto seguro no projeto de emenda que se aplicava a acordos de monopólio horizontais e verticais, a nova lei limita o escopo da regra de porto seguro a acordos de monopólio verticais. 

Em terceiro lugar, a Emenda AML 2022 fornece a base legal para comportamentos na organização e auxílio na celebração de acordos monopolistas. O artigo 19.º dispõe que «as empresas não devem organizar outras empresas para chegar a acordos monopolistas nem prestar assistência substancial a outras empresas para chegarem a acordos monopolistas». 

3. A Emenda AML 2022 responde aos desafios da economia da plataforma

A AML revisada responde aos desafios trazidos pela economia de plataforma tanto no Artigo 9 do Capítulo 1 (Disposições Gerais) quanto no Artigo 22 do Capítulo 3 (Abuso de Dominância). O artigo 9.º estipula que «as empresas não podem adotar comportamentos monopolistas através da utilização de dados e algoritmos, tecnologia, vantagens de capital, regras de plataforma, etc.». O artigo 22.º introduz um segundo parágrafo para abuso por parte de players digitais dominantes, além do primeiro parágrafo que inclui seis comportamentos abusivos e uma disposição diversa. O segundo parágrafo estipula que «as empresas com posição dominante no mercado não devem praticar abusos de posição dominante utilizando dados, algoritmos, tecnologia, regras de plataforma, etc., conforme especificado no número anterior». O Prof. Xiaoye Wang comenta que esses artigos mostram a determinação dos formuladores de políticas em fortalecer a fiscalização nos mercados digitais. Em particular, o recém-introduzido parágrafo 2 do Artigo 22 ajuda a abordar comportamentos abusivos em plataformas digitais que podem aparecer em algumas novas formas, por exemplo, comportamentos de auto-preferência. 

4. Obteve-se uma melhoria significativa na revisão da concentração de empresas

Em primeiro lugar, as agências da concorrência têm o direito de investigar as empresas suspeitas que atingem a norma de notificação mas não notificam a concentração. Relativamente à concentração de empresas que «não cumpre as normas de notificação estipuladas pelo Conselho de Estado, mas há provas de que a concentração de empresas tem ou pode ter por efeito eliminar ou restringir a concorrência», o artigo 26. -a agência de aplicação da lei monopolista do Conselho de Estado pode exigir que as empresas notifiquem». Ao mesmo tempo, o parágrafo terceiro também estabelece que, se as empresas não notificarem de acordo com o disposto nos dois parágrafos anteriores, a agência de aplicação da lei antimonopólio do Conselho de Estado investigará de acordo com esta lei. 

Em segundo lugar, a alteração AML 2022 introduz o sistema de classificação e revisão de classificação para a concentração de empresas. Em 10 de abril de 2022, os 'Parecer do Comitê Central do Partido Comunista da China e do Conselho de Estado sobre a aceleração da construção de um mercado nacional unificado' (《中共中央国务院关于加快建设全国统一大市场的意见》) enfatizaram «melhorar o sistema de classificação e revisão de classificação para a concentração de empresas» na secção «Regulação adicional da concorrência desleal no mercado e da intervenção no mercado». Em resposta, o artigo 37 foi adicionado à nova emenda, introduzindo um sistema de classificação e revisão de classificação para a concentração de empresas, enfatizando o fortalecimento da revisão de concentração de áreas essenciais, como a economia nacional e a subsistência das pessoas. Isso significa que as empresas podem enfrentar normas de revisão mais rigorosas se as atividades econômicas envolvidas se enquadrarem nos domínios vitais acima mencionados. 

Em terceiro lugar, a alteração AML 2022 introduz um mecanismo de 'paragem do relógio' ao rever a concentração de empresas. A atual Lei Antimonopólio divide a análise da concentração de empresas em duas etapas: análise preliminar e análise posterior. No estágio de revisão posterior, a agência de aplicação da lei antimonopólio pode estender o período de revisão caso a lei determine o contrário. No entanto, mesmo que o período de revisão seja prorrogado, o prazo para a revisão centralizada ainda está sujeito ao prazo rígido de 'acumulação não superior a 180 dias naturais'. Na prática, sempre existiu uma contradição entre o grande número de casos notificados pelas empresas e o reduzido número de pessoal que trata dos casos. O estabelecimento do procedimento sumário e do procedimento de negociação melhorou a eficiência da revisão, mas a contradição não foi fundamentalmente resolvida. 

Em resposta, é aditado o artigo 32.º da Emenda LBC 2022 para introduzir um mecanismo de 'paragem do relógio' para a suspensão durante a revisão da notificação de concentração de empresas, ou seja, para 

(1) A não apresentação de documentos e materiais necessários inviabiliza o trabalho de revisão; 

(2) É necessário verificar novas situações e novos fatos que tenham impacto significativo na revisão; 

(3) Condições restritivas adicionais precisam ser avaliadas com mais detalhes, e a empresa solicita a suspensão. 

Nos três casos acima mencionados, o cálculo do prazo de revisão pode ser suspenso. 

5. A Emenda AML 2022 especifica ainda a avaliação e aplicação do monopólio administrativo

Em primeiro lugar, a Emenda AML 2022 esclarece ainda mais o escopo do monopólio administrativo. A Emenda AML 2022 acrescenta o artigo 40, que esclarece que as entidades e organismos administrativos autorizados por leis e regulamentos com funções de gestão da coisa pública não devem abusar dos seus poderes administrativos na forma de celebrar acordos de cooperação e memorandos com empresas. Trata-se de impedir que outras empresas entrem no mercado relevante ou aplicar tratamento desigual para excluir e restringir a concorrência. Além disso, no artigo 42.º, após a alteração, a expressão original «exclui ou restringe empresas não locais de participar em licitações locais» é alterada para «exclui ou restringe empresas de participar em licitações e outras atividades empresariais». 

Em segundo lugar, as entidades administrativas envolvidas são obrigadas a cooperar com as investigações. A Emenda AML 2022 adiciona o Artigo 54 para especificar que as agências de aplicação da lei antimonopólio devem conduzir investigações sobre suspeitas de abuso de poder administrativo para excluir ou restringir a concorrência de acordo com a lei. As entidades administrativas ou pessoas físicas envolvidas devem cooperar com a investigação. 

Em terceiro lugar, as agências da concorrência têm o direito de entrevistar as entidades administrativas envolvidas no artigo 55. Entretanto, é aditado o artigo 61 para esclarecer que as entidades administrativas suspeitas de abuso do poder administrativo para excluir ou restringir a concorrência são obrigadas a comunicar o cumprimento relevante à sua supervisão autoridades e agências de aplicação da lei antimonopólio por escrito. 

6. As empresas e os particulares estão sujeitos a multas e sanções crescentes por atos ilícitos com efeitos dissuasivos

O artigo 62 revisto aumenta consideravelmente as multas e penalidades por recusar ou obstruir investigações para resolver o problema pendente de não cooperação de empresas e indivíduos relevantes em investigações de aplicação da lei antimonopólio. (1) O artigo 62.º torna obrigatória a coima contra empresas ou particulares, suprimindo a expressão facultativa punível. (2) O artigo 62.º altera o limite superior do número de coimas contra empresas de «um milhão de yuans» para «um por cento do volume de negócios do ano anterior». (3) O Artigo 62 aumenta o limite máximo das multas para indivíduos de '100,000 yuans' para '500,000 yuans'. Aumentar o número de multas pode criar dissuasão, o que ajuda a instar o sujeito sob investigação a cooperar ativamente com a investigação. 

O artigo 63.º alterado acrescenta disposições para coimas agravantes. Ele prevê quando (1) as circunstâncias da violação desta lei forem 'particularmente graves', (2) o impacto for 'particularmente odioso' e (3) as consequências forem 'particularmente graves', multas de mais de duas vezes, mas não mais de cinco vezes o valor das multas previstas nos artigos 56, 57, 58 e 62 desta Lei. Assim, por violações substantivas, como acordos de monopólio, abuso de domínio de mercado e implementação ilegal de concentração de empresas, as empresas podem ser multadas em até 50% do faturamento do ano anterior. A empresa pode ser multada em até 5% do faturamento do ano anterior por infrações processuais, como recusa e obstrução de cooperação com a investigação. 

7. Outras regras 

Em primeiro lugar, a Emenda AML 2022 estabelece um litígio civil de interesse público anti-monopólio para salvaguardar os interesses sociais e públicos. O artigo 60 acrescenta que 'Quando uma empresa se envolve em conduta monopolista que prejudique o interesse público, a Procuradoria do Povo ao nível ou acima do nível das cidades divididas em distritos pode apresentar uma ação civil de interesse público no tribunal popular, de acordo com a lei.' Este dispositivo comenta o sistema de contencioso civil de interesse público na AML. 

Em segundo lugar, a Emenda AML 2022 afirma explicitamente que as agências antimonopólios são responsáveis ​​pela confidencialidade da privacidade e das informações pessoais. O artigo 49 alterado inclui a obrigação das agências de aplicação da lei antimonopólio e seus funcionários de manter a privacidade pessoal e as informações pessoais conhecidas no processo de aplicação da lei em sigilo. 

Comentários

Como uma jurisdição antimonopólio cada vez mais crucial, a jornada da China em direção a uma aplicação mais eficaz da AML nunca termina. No terceiro dia após a adoção da Emenda, a Administração Estatal de Regulação do Mercado divulgou seis conjuntos de projetos de disposições abordando problemas monopolistas em diferentes áreas para fornecer mais clareza às empresas. A consulta pública sobre essas disposições preliminares está em andamento até 27 de julho. Qian & Qian estão confiantes de que uma aplicação de AML mais profissional e abrangente pode ser esperada na China no futuro. 

 

 

Referências

Jianzhong Shi (2022), Um melhor regime antimonopólio para garantir o desenvolvimento de alta qualidade (更加完善的反垄断制度保障高质量发展), China Law Review (《中国法律评论》), 46 (4). (Próximo) 

Yong Huang (2020, 30 de junho), Revisão de Concorrência Justa Salvaguarda a Sobrevivência e o Desenvolvimento de Micro, Pequenas e Médias Empresas, Legal Daily. 

Qing Li (2020), Experiência e Testemunho: Os primeiros 12 anos da Lei Antimonopólio (亲历与见证:《反垄断法》的第一个12年).Em Qing Li (Ed.), Doze Anos de Anti -monopólio na China: Review and Prospect, 126-133. Grupo de Imprensa CITIC. 

Tao Wu (2022), Melhoria da Estrutura Determinante de Ilegalidade para Acordos de Monopólio: Alguns Comentários sobre as Disposições Relevantes do Projeto de Alteração da AML da China (我国垄断协议违法性认定框架的改进:评《<反螄断法>修订案》相关条款), Pesquisa de Política de Concorrência (《竞争政策研究》), 41 (2), 5-11. 

Xiaoye Wang (2022), Comentários sobre a Lei Antimonopólio (Projeto)(《反垄断法(修正草案)》的评析), Contemporary Law Review(《当代法学》), 36 (3), 36-51. 

 

*O material chinês neste post é traduzido por Qian & Qian.

 

Foto por Max Zhang on Unsplash

Contribuintes: Qian Wu , Qian Li

Salvar como PDF

Leis relacionadas no Portal de Leis da China

você pode gostar também

Resolução de disputas de comércio eletrônico transfronteiriço aos olhos dos tribunais chineses

O crescente comércio eletrônico transfronteiriço na China resultou em um aumento concomitante de disputas transfronteiriças entre exportadores chineses, plataformas chinesas de comércio eletrônico, consumidores estrangeiros e plataformas de comércio eletrônico no exterior. Juízes do Tribunal de Internet de Hangzhou compartilharam suas reflexões sobre o julgamento de casos de comércio eletrônico transfronteiriço.

Estado de Washington reconhece julgamento chinês pela primeira vez

Em 2021, o Tribunal Superior de Washington do Condado de King decidiu reconhecer uma sentença de um tribunal local de Pequim, marcando a primeira vez para um tribunal estadual de Washington e a sexta vez para um tribunal dos EUA reconhecer e aplicar sentenças monetárias chinesas (Yun Zhang v. Rainbow USA Investments LLC, Zhiwen Yang et al., Processo No. 20-2-14429-1 SEA).