Portal de Leis da China - CJO

Encontre as leis e documentos públicos oficiais da China em inglês

InglêsArabeChinês (simplificado)NeerlandêsFrancêsAlemãohindiItalianoJaponesaCoreanaPortuguêsRussoEspanholsuecohebraicoIndonesianVietnamitatailandêsturcoMalay

Memorando de Entendimento sobre Cooperação entre o SPC e a Suprema Corte de Cingapura sobre Informações sobre Direito Estrangeiro (2021)

中新两国最高法院关于法律查明问题的合作谅解备忘录

Tipo de documentos Declarações Públicas

Organismo emissor O Supremo Tribunal Popular

Data de promulgação 03 Dezembro, 2021

Âmbito de aplicação Em todo o país

Tópico (s) Assistência Judicial

Editor (es) CJ Observer

MEMORANDO DE ENTENDIMENTO SOBRE A COOPERAÇÃO ENTRE O SUPREMO TRIBUNAL POPULAR DA REPÚBLICA POPULAR DA CHINA E O SUPREMO TRIBUNAL DA REPÚBLICA DE CINGAPURA SOBRE INFORMAÇÕES SOBRE DIREITO ESTRANGEIRO
O Supremo Tribunal Popular da República Popular da China e o Supremo Tribunal da República de Cingapura (cada um referido como "Participante" e coletivamente referidos como "Participantes"),
Com o objetivo de promover os laços de amizade entre a República Popular da China e a República de Cingapura, avançando conjuntamente a Iniciativa “Faixa e Rota” e fortalecendo ainda mais a cooperação pragmática no setor judiciário entre os dois Estados,
Com o objetivo de proporcionar conveniência aos tribunais de ambos os Estados para determinar questões de direito do outro Estado em casos civis e comerciais internacionais, aumentando a precisão e a autoridade das informações sobre leis estrangeiras e melhorando a eficiência da adjudicação judicial,
Concordam mutuamente em fortalecer a cooperação bilateral em informações sobre direito estrangeiro em casos civis e comerciais internacionais, e fizeram e firmaram o seguinte Memorando de Entendimento (o "MOU"):
Artigo I Âmbito de aplicação
Se for necessário que os tribunais da República Popular da China e da República de Cingapura apliquem a lei do outro Estado ao julgar casos civis e comerciais internacionais, pode ser feito um pedido ao Participante do outro Estado para fornecer informações e opiniões sobre seu direito interno e prática judicial em assuntos civis e comerciais, ou assuntos relacionados, de acordo com este MOU.
Artigo II Autoridades habilitadas a fazer um pedido
Uma solicitação de informações e opiniões sempre emanará de um tribunal que determine questões de direito (“Tribunal Requerente”). O pedido só pode ser feito no âmbito de processos cíveis ou comerciais em curso.
Artigo III Conteúdo de um pedido
Um pedido de informações e opiniões incluirá:
1. O nome do Tribunal Requerente;
2. A natureza do processo para o qual o pedido é apresentado;
3. As questões jurídicas específicas solicitadas;
4. Os fatos, suposições e outras informações auxiliares sobre as quais deve ser determinada a resposta à solicitação.
O pedido não identificará especificamente as partes ou os processos em que são parte.
Artigo IV Transmissão de um pedido
Os pedidos dos tribunais da República Popular da China serão transmitidos através do Supremo Tribunal Popular da República Popular da China ao Supremo Tribunal da República de Singapura; e os pedidos dos tribunais da República de Singapura serão transmitidos através do Supremo Tribunal da República de Singapura ao Supremo Tribunal Popular da República Popular da China. Para os fins deste MOU, o Participante que transmitir uma solicitação de informações e opiniões será denominado “Participante Solicitante”, enquanto o Participante que receber a solicitação será denominado “Participante Receptor”.
Artigo V Recebimento e resposta a um pedido
O Supremo Tribunal Popular da República Popular da China tem poderes para receber e responder a solicitações transmitidas através ou pelo Supremo Tribunal da República de Cingapura.
O Supremo Tribunal da República de Singapura tem poderes para receber e responder a pedidos transmitidos através ou pelo Supremo Tribunal Popular da República Popular da China.
Artigo VI Conteúdo da resposta
O Participante Receptor fornecerá informações e opiniões ao Participante Requerente de forma objetiva e imparcial. A resposta conterá, sempre que possível, informações relevantes que tratem adequadamente cada aspecto do pedido. Ela será acompanhada, na medida considerada necessária para o bom entendimento das informações, de quaisquer documentos adicionais, incluindo, mas não se limitando a, textos legais, precedentes judiciais relevantes, decisões judiciais, interpretações judiciais e ordens judiciais.
Artigo VII Transmissão de uma resposta
Os Participantes transmitirão suas respostas diretamente uns aos outros de acordo com seus respectivos procedimentos.
Artigo VIII Esclarecimentos de informações
O Participante Receptor poderá solicitar ao Participante Requerente maiores esclarecimentos sobre a solicitação. Tais solicitações de esclarecimentos serão transmitidas ao Participante Requerente de acordo com o Artigo IV deste MOU.
Artigo IX Cronograma para a resposta
A resposta a um pedido de informações e pareceres será fornecida com a maior brevidade possível. No entanto, se a resposta não puder ser dada no prazo de sessenta dias após o recebimento da solicitação, o Participante Recebedor notificará imediatamente o Participante Requerente.
Caso o Participante Receptor solicite ao Participante Requerente que preste esclarecimentos adicionais, a resposta a uma solicitação de esclarecimento será fornecida o mais rápido possível. No entanto, se a resposta não puder ser dada no prazo de trinta dias após o recebimento da solicitação, o Participante Requerente notificará imediatamente o Participante Receptor.
Artigo X Efeitos da resposta
1. As informações e opiniões fornecidas na resposta são apenas para referência e não vincularão o Tribunal Requerente na determinação de qualquer questão de direito em qualquer processo em curso ou futuro ou de qualquer outra forma. O Tribunal Requerente poderá utilizar as informações e opiniões fornecidas na resposta da maneira que julgar conveniente, de acordo com suas leis, práticas e usos internos.
2. Para evitar dúvidas:
a.o Juízo Requerente terá o direito de colocar a resposta obtida do Participante Receptor à disposição das partes do processo para o qual o pedido foi protocolado, e convidar as partes a se manifestarem sobre a resposta; e
b. o Juízo Requerente, por meio do Participante Requerente, poderá fazer novas solicitações de informações e pareceres decorrentes da resposta.
3.O Participante Recebedor não se responsabiliza pelas informações e opiniões fornecidas.
Artigo XI Exceções à obrigação de resposta
Caso o Participante Receptor considere que a resposta à solicitação possa ser prejudicial à sua soberania, segurança ou interesse público, poderá recusar a solicitação, mas notificará prontamente o Participante Requerente.
Artigo XII Idiomas
1. A solicitação e eventuais anexos serão redigidos no idioma oficial do Participante Receptor ou acompanhados de tradução para esse idioma.
A resposta e eventuais anexos serão redigidos no idioma oficial do Participante Receptor e acompanhados de uma tradução para o idioma oficial do Participante Requerente.
3. Para os fins dos subparágrafos 1 e 2 acima, o idioma oficial do Supremo Tribunal Popular da República Popular da China é o idioma chinês, e o idioma oficial do Supremo Tribunal da República de Cingapura é o idioma inglês .
Artigo XIII Órgãos de ligação
O Supremo Tribunal Popular da República Popular da China nomeia o Departamento de Cooperação Internacional do Supremo Tribunal Popular, e o Supremo Tribunal da República de Cingapura nomeia o Registro do Supremo Tribunal, como órgãos de ligação sob este MOU. As solicitações e respostas entre os Participantes serão transmitidas por esses órgãos de ligação por meio de endereços de e-mail especificados ou outros meios acordados.
Artigo XIV Relações com outras formas de prova de leis estrangeiras
Este MOU será aplicado sem prejuízo dos direitos dos tribunais de ambos os Estados de determinar questões de direito do outro Estado por meio de convenções internacionais, tratados bilaterais, direito interno ou qualquer outro meio em processos civis e comerciais internacionais.
Artigo XV Solução de controvérsias
Quaisquer disputas ou diferenças que possam surgir da interpretação ou implementação deste MOU serão resolvidas por meio de consulta amigável com base no entendimento e respeito mútuos entre os Participantes, sem referência a terceiros, tribunal ou qualquer outro fórum.
Artigo XVI Emendas
Este MOU pode ser alterado a qualquer momento por escrito por consentimento mútuo dos Participantes. Qualquer alteração que tenha sido acordada pelos Participantes entrará em vigor na data acordada pelos Participantes e será considerada parte integrante deste MOU.
Qualquer alteração não prejudicará qualquer pedido de informações ou pareceres ou qualquer resposta recebida, emitida ou recebida antes ou até a data de tal alteração.
Artigo XVII Eficácia e rescisão
Este MOU entrará em vigor em 3 de abril de 2022. Qualquer Participante pode rescindir este MOU mediante notificação por escrito ao outro Participante. Este MOU terminará seis meses após o recebimento de tal notificação por escrito.
Este MOU não constitui nenhum tratado ou lei nem cria quaisquer direitos ou obrigações juridicamente vinculantes entre os Participantes sob a lei nacional ou internacional.
Este MOU é assinado em duas vias originais, sendo uma em chinês e outra em inglês, sendo ambos os textos igualmente válidos, em 3 de dezembro de 2021 na República Popular da China e na República de Cingapura.

Esta tradução em inglês vem do site oficial do SPC.

Postagens relacionadas no China Justice Observer